quarta-feira, 2 de agosto de 2017

FLUMINENSE TEM INÍCIO ANIMADOR, ABDICA DE JOGAR, MAS TRAZ UM PONTO DE RECIFE

Tricolor abriu 2 a 0, mas deixou o adversário empatar
 
Foto: Nelson Perez/FFC
O Fluminense especulou com a vitória contra o embalado Sport, mas depois de um começou animador, recuou demais e permitiu o empate do adversário após abrir 2 a 0. Gustavo Scarpa e Renato Chaves inauguraram o placar. André e Patrick empataram nesta quarta, na Ilha do Retiro.
O péssimo gramado da Ilha do Retiro não impediu um início de jogo fulgurante do Fluminense. Com 20 minutos, o Tricolor já havia marcado dois gols e colocado uma bola na trave do Sport.
Logo aos oito, Gustavo Scarpa, no seu estilo, pela direita, chamou a canhota e bateu colocado. Golaço! Desde fevereiro, quando havia feito aquela pintura contra o Globo-RN do meio-campo, ele não balançava as redes.
O Flu nem deixou o adversário respirar e quatro minutos depois ampliou. Marlon cobrou escanteio, a bola desviou e Renato Chaves, no 10º andar, cabeceou bonito no canto direito do goleiro. E aos 20, de novo, em escanteio, Henrique sacudiu o travessão em forte cabeçada.
Tonto, o Sport demorou a se encontrar. O time de Abel Braga, fechado, esperando os contra-ataques, se aproveitou.
O Fluminense, inclusive, tinha uma mudança tática. Marlon Freitas se posicionou como líbero, num esquema com três zagueiros. Isso impediu a equipe pernambucana de penetrar pelo meio. Mas o problema estava nas laterais.
A partir dos 25, os contra-ataques pararam de acontecer e o Time de Guerreiros se limitou a defender. Lucas e, principalmente, Marlon marcavam à distância e davam um espaço gigantesco para os laterais do Sport cruzarem. Foi na bola aérea que os donos da casa assustavam.
E foi assim, aos 31 minutos, que André diminuiu. Ele subiu mais do que Marlon Freitas, cabeceou para o chão e Júlio César nada pôde fazer.
A pressão continuou e o Sport quase empatou. O goleiro tricolor, à queima roupa, defendeu uma cabeçada, que mais parecia um chute, de Diego Souza.
A bola aérea era um Deus nos Acuda. O Sport levava vantagem em todas e, felizmente, o árbitro apitou o fim do primeiro tempo, porque o gol do Sport estava maturando.
Mas para a infelicidade do Tricolor, ele saiu no início do segundo tempo. Wendel correu para não chegar, Renato Chaves perde na corrida e Patrick soltou a bomba para empatar: 2 a 2
E o que era ruim poderia piorar com uma invenção do árbitro. Orejuela fez falta normal no meio-campo e o juizão resolveu expulsar o equatoriano, alegando cotovelada. Que não houve!
O Fluminense conseguiu desempatar, mas Marlon Freitas estava impedido. A partir daí, o Tricolor, paradoxalmente, jogou melhor.
O Sport, mesmo com um a mais, não atacava com o mesmo ímpeto de antes. O Flu, por sua vez, defendia melhor, conseguia reter mais a bola e puxava alguns contra-ataques. Mas o placar não se alterou.
Um bom resultado levando em conta o fator campo e o adversário? Sem dúvida, mas sem negar o gosto amargo pelo bom início de jogo.
Escalação Fluminense: Júlio César; Lucas, Henrique, Renato Chaves e Marlon; Marlon Freitas, Orejuela, Wendel (Mateus Norton) e Gustavo Scarpa; Wellington Silva (Peu) e Henrique Dourado (Marquinhos Calazans).
FONTERedação NETFLU

Nenhum comentário: