sábado, 8 de julho de 2017

POR ORA, PEDRO ANTÔNIO NÃO TERÁ SUBSTITUTO E NOVA RUA DE ACESSO AO CT VIRA INCÓGNITA

Pasta da vice-presidência de projetos especiais não será ocupada por ninguém
 
No último mês, a informação do desligamento do vice-presidente de projetos especiais do Fluminense, Pedro Antônio Ribeiro, que dá nome ao centro de treinamentos, pegou muita gente de surpresa dentro e fora do clube. Responsável direto pela construção do CT, o ex-dirigente foi “cortado” por, segundo o presidente Pedro Abad, não ter respeitado hierarquia ao falar a respeito de um projeto de estádio no Parque Olímpico.
O legado de Pedro Antônio, todavia, segue inacabado. Na linha de frente das obras, a saída do milionário deixou muito mais do que entulhos e um gigantesco canteiro inacabado na Barra da Tijuca. O maior desafio para a atual temporada seria a construção de uma nova rua de acesso, paralela à Ayrton Senna, evitando o trecho próximo à Cidade de Deus, considerada área de risco.
Questionada pelo NETFLU, a assessoria de imprensa do Fluminense frisou, contudo, que a abertura da rua e outras demandas serão analisadas pela nova equipe de “profissionais gabaritados” que assumirão a coordenação do CT. Nomes para o cargo não foram divulgados. Já a pasta de projetos especiais, à princípio, permanecerá vaga.
Coincidentemente, duas semanas antes do seu desligamento, Pedro Antônio havia dado uma entrevista exclusiva ao site número 1 da torcida tricolor falando sobre sua expectativa em torno da conclusão da via de acesso ao centro de treinamentos.
– A rua está no processo final de licenciamento. A parte de aterro, que é a parte mais crítica, fica pronto em três meses. Eu não estou acreditando é no surgimento do dinheiro. Essa é a dificuldade. Se o dinheiro vai aparecer ou não, tem que perguntar para o presidente (Pedro Abad). Não tenho o menor controle a gerência sobre os recursos. Se tivesse, o CT já teria ficado pronto. Com recurso, daria para terminar este ano. Aliás, toda obra daria para terminar se tivesse dinheiro – frisou.
Vale ressaltar que o ex-vice de projetos especiais diz ter deixado o clube sem cobrar juros em cima dos valores que emprestou ao Fluminense, apesar da Taxa Selic constar em seu contrato com o Tricolor. O clube ainda deve cerca de R$ 5,5 milhões a Pedro Antonio.
FONTENETFLU

Nenhum comentário: