domingo, 16 de julho de 2017

FLUZÃO SEGURA A PRESSÃO PARA VOLTAR A VENCER NO BRASILEIRO: 2 A 1 NO COXA FORA

Tricolor chega a abrir 2 a 0 e precisa se desdobrar para sair com os três pontos do Couto Pereira; Richarlison e Léo fizeram os gols
 
Fluminense foi guerreiro para trazer vitória do Couto Pereira (Foto: Nelson Perez - FFC)
Acabou a série de quatro jogos sem vencer do Fluminense. Foi com uma boa dose de sofrimento, é verdade, mas o que valem são os três pontos na tabela. No Couto Pereira, com gols de Richarlison e Léo, o Tricolor chegou a abrir 2 a 0, só que viu o adversário descontar com Henrique Almeida e precisou segurar uma senhora pressão para reencontrar os triunfos na disputa. O adversário chegou a desperdiçar um pênalti.
O Fluminense começou a partida levando um verdadeiro sufoco do Coritiba. Antes mesmo dos dez minutos, o adversário já havia desperdiçado um pênalti com Henrique Almeida chutando por cima do gol. No lance em questão, Orejuela vacilou ao perder bola lá atrás e Marlon Freitas foi afobado derrubando Matheus Galdezani. Para piorar, Reginaldo ainda sentiu um problema muscular e precisaou ser substituído cedo. O time comandado por Abel esperava para sair nos contra-ataques, mas não era capaz de criar boas jogadas quando recuperava a posse de bola. Scarpa atuava praticamente como um ponta pela direita. Já Wendel, pelo meio, não conseguia fazer de articulador.
Mesmo sem ter uma apresentação vistosa, foi o Tricolor quem conseguiu sair na frente em sua primeira chance com Richarlison recebendo cruzamento de Scarpa, girando e batendo no ângulo de Wilson. Logo depois, Léo recebeu na entrada da área e chutou. Deu sorte ao ver a bola desviar na marcação e enganar o goleiro adversário: 2 a 0 Flu.
Quando tudo estava bem e o Fluminense levava uma boa vantagem para o intervalo, o Coritiba conseguiu descontar no último lance do primeiro tempo em cobrança de escanteio mal rebatida por Pedro e que sobrou para Henrique Almeida empurrar no barbante.
Na etapa final era de se esperar que o Coritiba partisse para cima em busca da igualdade e assim foi. Abel, mais uma vez, viu-se forçado a mexer na zaga quando Nogueira sentiu lesão e deu lugar a Renato. Orejuela, então, foi improvisado para o setor. Escolhido para entrar em campo, o lateral-direito ainda desperdiçou uma boa oportunidade ao, na entrada da área, bater para fora. O Coxa de fato pressionou. Sem muita qualidade e desordenado, incomodou. O Tricolor se fechou e tentava sair no contragolpe. Wendel puxava lá de trás e Richarlison dava um show de comprometimento. O atacante voltava para marcar e também tentava conduzir o Flu ao ataque.
Com o passar do tempo, o Fluminense se fechou ainda mais. O Coxa só conseguiu assustar de maneira mais contundente num único lance no qual Júlio César fez boa defesa em cabeçada de Alecsandro. O apito final trouxe aquela dose de alívio que todos os tricolores precisavam. Na próxima quinta, o Flu volta a campo para enfrentar o Cruzeiro, no Giulite Coutinho.
O Fluminense jogou com Júlio César, Lucas, Nogueira (Renato, 2′ do 2ºT), Reginaldo (Frazan, 17′ do 1ºT) e Léo; Orejuela, Marlon Freitas, Wendel e Gustavo Scarpa; Richarlison e Pedro (Marcos Junior, 40′ do 2ºT).
FONTERedação NETFLU

Nenhum comentário: