terça-feira, 4 de julho de 2017

ATAQUE FUNCIONA, MAS DEFESA ABUSA E SINA COM A CHAPE CONTINUA: 3 A 3

Fluminense buscou o empate com a equipe catarinense
 
O Fluminense continua sem vencer a Chapecoense na história e fez força para que a escrita não terminasse nesta segunda-feira, em Edson Passos. O setor ofensivo funcionou, mas a defesa cansou de falhar e o time empatou em jogo eletrizante em 3 a 3. Richarlison, Pedro e Marcos Júnior fizeram para o Tricolor. Rossi, Arthur e Luiz Otávio marcaram para a Chape.
A torcida tricolor precisou de pouco mais de um minuto para gritar gol. Em ótima trama ofensiva, com direito a toque de letra de Calazans e boa visão de Gustavo Scarpa, Richarlisou abriu o placar no Giulite.
E foi só. O Fluminense, praticamente, assistiu a Chapecoense jogar durante todo o primeiro tempo. Do segundo em diante, o time de Santa Catarina dominou a partida, levando vantagem no meio-campo e nas laterais, aproveitando a deficiência de Lucas e Léo na marcação.
Numa bobeada de Reginaldo não marcou Rossi, que empatou. O atacante ganhou na disputa de ombro a ombro com o zagueiro, saiu na cara de Julio Cesar e deixou tudo igual.
O Flu só voltou a atacar com o apático Pedro, em passe de Calazans, aos 24 minutos. Ainda teve mais duas chances com Henrique, de cabeça, mas ofensivamente produziu pouco pela expectativa que se criava em torno a volta a Edson Passos. As melhoradas jogadas foram com o veloz negrinho pela direita. Richarlison e Pedro eram figuras decorativas. Scarpa ainda tentava lançamentos da direita para a esquerda, mas Léo nunca aproveitava.
A Chapecoense continuou jogando no erro do Fluminense. A marcação dos volantes  e laterais era ruim e a equipe carioca também levava desvantagem na bola pelo alto.
Wendel e Orejuela não acompanhavam ninguém, Henrique e, principalmente, Reginaldo, tinham dificuldade no um contra um, mas a virada da Chape saiu no manjado lateral para a área. Arremesso de Reinaldo, desvio na primeira trave e Arthur, sozinho, fez o segundo da Chape. Pelo que (não) jogou no primeiro tempo, o Fluminense saiu no lucro com a derrota parcial por 2 a 1.
No segundo tempo, Abel tirou o inoperante Léo e arriscou com Wellington Silva. Demorou para o Fluminense assustar a Chape. Em boa jogada do próprio Wellington, o gol de empate saiu, com Pedro, de peito.
A virada parecia próxima com a justa expulsão de Rossi. Mas depois da zaga, foi a vez de Julio Cesar “fazer as honras”. O goleiro não defendeu cabeçada de Luiz Otávio e, em lance difícil, a arbitragem validou gol para a Chapecoense.
O Flu foi com abafa. Lucas Fernandes e Marcos Junior entraram e o segundo empatou a partida no finzinho. O gol da virada, por pouco, não saiu. Richarlison parou no goleiro Jandrei e ficou no 3 a 3.
FONTERedação NETFLU

Nenhum comentário: