sábado, 1 de novembro de 2014

NA BASE DA EFICIÊNCIA, FLU BATE O GOIÁS, CONFIRMA GRANDE FASE E DORME NO G-4

Tricolor abre vantagem com Fred e segura o Esmeraldino, algoz recente, no Serra Dourada, até fechar o placar com Conca, em contra-ataque no fim


Por Goiânia
fluO panorama foi o mesmo na volta do intervalo. O Goiás em busca da recuperação, só que com cada vez menos intensidade e abusando da individualidade. Sem um contra-ataque eficaz, Cristóvão Borges apenas trocou Walter por Sobis e Jean por Diguinho e se conformou com o cenário. Vez ou outra, a frequente linha de impedimento tricolor assustava, sem comprometer.
A palavra de ordem do Fluminense na noite deste sábado foi a eficiência. Sem precisar exibir seu melhor futebol, o Tricolor aplicou 2 a 0 sobre o Goiás, no Serra Dourada, alcançou a quarta vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro e, enfim, volta a dormir no G-4. Os gols foram de Fred e Conca, que tornaram Walter e Erik, personagens antes do duelo por reencontrarem ex-clube e algoz recente, respectivamente, em meros coadjuvantes.
Mais confiante pela fase na competição, o Tricolor tentou se impor e controlou a partida no início. Atacando quase sempre pelo lado esquerdo, Chiquinho e Conca eram muito acionados. O Esmeraldino, por sua vez, tinha mais posse de bola. Mas parava no bloqueio do adversário na frente da área e errava mais. Isso não impediu, porém, que, no primeiro vacilo dos cariocas, Bruno Mineiro chutasse para fora a chance clara de abrir o placar, cara a cara com Cavalieri. O Flu fez uma linha de impedimento equivocada e deixou três jogadores sozinhos.
Logo depois, veio o castigo: Conca achou Jean na área, e o volante só teve o trabalho de rolar para Fred balançar a rede e comemorar seu 14º gol no Brasileirão e o centésimo na era dos pontos corridos. Em desvantagem, o dono da casa tratou de avançar a marcação e aproveitou-se do recuo do rival para criar pelo menos duas grandes oportunidades de empatar. Erik parou duas vezes em Cavalieri e, já nos acréscimos, David pegou na veia e viu Guilherme Mattis salvar de cabeça na linha. Vale ressaltar que a bola aparentemente bateria na trave.
As mudanças de Drubscky não surtiram efeito e, dos 25 minutos em diante, o Fluminense cresceu, passando a ocupar mais espaços no campo ofensivo. No fim da partida, nada de pressão esmeraldina. Na realidade, os cariocas ficaram mais perto de ampliar, com Wagner e Conca, e o único risco corrido foi em jogada isolada de Lima pela esquerda. Já nos acréscimos, como prova da eficiência, Wagner e Chiquinho deixaram Conca livre para fazer 2 a 0.
FONTE: GLOBOESPORTE.COM
DIVULGAÇÃO: Blog Dudé Vieira.

Nenhum comentário: