segunda-feira, 25 de agosto de 2014

FLUMINENSE ADERE AO REFIS DA CRISE E CONSEGUE PARCELAR DÍVIDAS FISCAIS

Presidente Peter Siemsen explica ao LANCE!Net que clube deu passo importante, mas ainda precisa resolver penhoras. Pelo acordo, Flu resolveria dívida fiscal em 2029

Marcello Vieira 25/08/2014 - 17:16 Rio de Janeiro (RJ)
Coletiva de Peter Siemsen (Foto: Nelson Perez/ Fluminense F.C)
Depois de várias tentativas, o Fluminense enfim aderiu ao Refis da Crise, programa de parcelamento de dívidas fiscais do Governo Federal e dessa maneira, conseguiu equacionar a questão fiscal. Ao LANCE!Net, o presidente Peter Siemsen falou sobre a iniciativa.

- Equacionamos toda a dívida fiscal entre Timemania e Refis. Agora neste parcelamento teremos uma redução da dívida na ordem de uns R$ 20 e poucos milhões. Não chega a ser uma vitória, mas é mais um passo. Falta resolver algumas penhoras nas quais temos disputas judiciais duras. Só depois disso podemos dizer que está 100% - explicou o presente.

Cabe ressaltar que apesar da boa notícia, o Tricolor ainda precisa reverter algumas decisões judiciais sobre penhoras em andamento que ainda não foram utilizadas para pagar a dívida e que poderiam vir a ser liberadas.

- A vida do Fluminense não muda, continua difícil. Entramos no Refis, mas é um passo que ainda não resolve. Depois da Timemania, ainda tínhamos dívidas para parcelar e estas entraram pelo Refis. Esta parte corresponde a toda aquela disputa que tivemos com a Procuradoria que aceitou parcelar as dívidas de Flamengo e Vasco, mas não aceitou nossa proposta mesmo com uma dívida menor - disse o mandatário que ainda tem a convicção de que o caminho escolhido pelo Fluminense é ainda melhor do que o Proforte, projeto de lei que não foi aprovado:

- O Proforte exige outras obrigações que não correspondem só à questão fiscal e no longo prazo pode asfixiar o clube. O Refis é completamente diferente, assim como a Timemania. Meu compromisso é em pagar e resolver a questão fiscal.

O Fluminense incluiu no Refis o parcelamento de um débito total de cerca de R$ 50 milhões. O pagamento previsto para 180 meses deu direito a um desconto de quase R$ 20 milhões de dívida. Entretanto, para seguir no acordo, o clube precisará pagar cerca de R$ 1 milhão mensal nos próximos cinco meses. Depois disso, as parcelas cairão para R$ 150 mil mensais.  Já na Timemania, o pagamento corresponde a cerca de R$ 500 mil por mês, valor este que crescerá aos poucos ao longo dos anos. A dívida fiscal a ser paga via Timemania é de cerca de R$ 140 milhões. A expectativa é de que o Tricolor esteja livre das dívidas fiscais em 2029. Isto, é claro, se cumprir com o acordo à risca.
FONTE: LANCENETE.COM.BR
DIVULGAÇÃO: Blog Dudé Vieira.

Nenhum comentário: